Recuperações judiciais ficam de lado, enquanto IPOs multiplicam-se

...

"É um paradoxo porque, num momento muito ruim, no qual o Brasil virou ‘covidário’ mundial, mesmo empresas muito frágeis, com plano de negócios até capenga e pouca chance de dar certo, conseguiram construir uma narrativa de crescimento. São dezenas de casos, às vezes de empresas à beira do pedido de recuperação judicial, que fizeram IPO", diz Ricardo Knoepfelmacher

...

Fonte: O Estado de S.Paulo

Para ler a notícia completa clique aqui

×
×